Convenção coletiva

SindusCon-SP manifesta “absoluta estranheza” com greve na construção

Sindicato estima que a grande maioria das obras não parou na capital paulista

Por Rafael Marko 15/05/2018 14:24:06

A greve deflagrada em 15 de maio na construção civil da cidade de São Paulo “causou absoluta estranheza, pois estávamos negociando normalmente a renovação da convenção coletiva de trabalho”, afirmou Haruo Ishikawa, vice-presidente de Relações Capital-Trabalho e Responsabilidade Social do SindusCon-SP. Segundo ele, a grande maioria das obras não foi paralisada na capital paulista.

Ishikawa esclareceu que não está havendo intransigência ou ausência de propostas por parte do sindicato dos empregadores. “Ocorre que pretendemos renovar a convenção coletiva de acordo com as inovações da reforma trabalhista, sem retirar qualquer direito dos trabalhadores. E seguiremos abertos à negociação, dentro desta diretriz”, assegurou.

As empresas associadas ao SindusCon-SP permanecem unidas nas negociações, que estão sendo conduzidas pela Comissão Permanente de Negociação do sindicato, com respaldo da assembleia geral permanente das empresas associadas e acompanhamento da diretoria da entidade, informou o vice-presidente.

Segundo Ishikawa, “a exemplo dos anos anteriores, o SindusCon-SP mantém sua postura de protagonismo na negociação da renovação desta e das demais convenções coletivas assinadas com outras entidades representativas do Estado de São Paulo, e prosseguirá buscando esse entendimento com todos”.









Rua Dona Veridiana, 55

Santa Cecília,

São Paulo,

01238-010

(11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br



Rua Dona Veridiana, 55

Santa Cecília,

São Paulo,

01238-010

(11) 3334-5600

sindusconsp@sindusconsp.com.br